Concurso público ou advocacia : como escolher qual caminho seguir?

  • 27/set/2018

Concurso público ou advocacia : como escolher qual caminho seguir?

Quem se forma em Direito tem muitas opções de carreira — geralmente, elas se dividem em dois grandes grupos: concurso público ou advocacia.

Se você está em dúvida sobre qual é o melhor caminho para você, não se preocupe! Preparamos este post para ajudar você a refletir sobre os prós e contras de cada um. É só continuar a leitura e conferir!

Remuneração

Um dos aspectos mais importantes na escolha profissional de qualquer pessoa é o salário. Cada uma das carreiras é marcada por características salariais bem distintas.

Quem opta pela advocacia quase sempre começa trabalhando no escritório de outro advogado e ganhando um salário mais modesto. Porém, com o tempo, há grandes oportunidades de crescimento na carreira.

Isso porque o profissional tem a chance de construir um nome de respeito, abrir seu próprio escritório e acabar firmando contratos com grandes clientes, o que o leva a ganhar muito bem.

Já na maioria das carreiras que o ingresso é via concurso público, o salário inicial geralmente é bom, mas permanece mais ou menos o mesmo.

Exceto por bônus devido ao tempo de serviço, grande parte dos funcionários públicos só tem a opção de ter uma remuneração maior por meio de promoções internas — que não acontecem com frequência — ou prestando outro concurso.

Estabilidade

O benefício número um das carreiras públicas é que, quase sempre, o cargo é estável e vitalício. Portanto, a não ser que você cometa alguma grave irregularidade, é possível ter mais segurança financeira.

Quem opta pela advocacia tem muito menos estabilidade, precisando se concentrar mais em fazer uma boa rede de contatos, e em ter um bom relacionamento com os colegas de escritório e os superiores.

Advogados com escritório bem estabelecido no mercado podem alcançar uma boa estabilidade, mas isso normalmente ocorre após muitos anos de esforço.

Satisfação profissional

Tanto uma carreira de advogado quanto uma carreira pública, como juiz ou promotor de justiça, podem trazer satisfação profissional; tudo dependerá do seu perfil e do que você gosta de fazer.

Trabalhar como advogado permite mais flexibilidade nesse sentido — se você não está totalmente satisfeito em uma área, é possível mudar para outra com facilidade, principalmente se for dentro do mesmo ramo.

Por exemplo, um advogado especializado em Direito Condominial pode passar a atuar na área de usucapião e até mesmo sem a necessidade de uma especialização, já que são duas áreas cíveis.

Já as carreiras públicas são excelentes para quem tem certeza do que gosta e não se incomoda de continuar fazendo os mesmos tipos de tarefa ao longo dos anos.

Dificuldades iniciais

Pode-se dizer que ambos os caminhos são difíceis no começo; afinal, o Brasil é um país com um grande número de bacharéis em Direito, e todos os concursos públicos de nível superior são muito concorridos.

Há pessoas que estudam por muitas horas diárias ao longo de meses em busca do sonho de se classificar para uma carreira estável e bem remunerada.

Quanto mais especializado o profissional, menos concorrentes ele enfrenta, porém, o número de vagas também pode ser menor.

Quem deseja se dedicar ao estudo para concurso público e pode contar com o apoio financeiro dos pais ou do cônjuge tem uma grande vantagem sobre seus concorrentes, por conseguir mais tempo disponível para o estudo.

Para o advogado em início de carreira, pode não ser tão difícil conseguir emprego junto a um escritório, porém, como muitos desejam empreender e já começar com o próprio negócio, também surgem dificuldades.

A principal delas é concorrer com nomes já estabelecidos no mercado; por isso, é importante oferecer diferenciais, como um atendimento atencioso, pagamento facilitado etc.

Estudo constante

Qualquer bacharel em Direito sabe que, em concurso público ou advocacia, terá que estudar para manter-se atualizado ao longo de toda a sua carreira. No entanto, dependendo da área, é exigido mais ou menos empenho nesse sentido.

Por exemplo, quem opta pela advocacia na área de Direito Tributário necessita de muito estudo pois, além de ter uma das legislações de impostos mais complicadas do mundo, o Brasil também está sempre sofrendo mudanças nessa área.

O advogado na área de Direito Penal, por outro lado, lida com menos mudanças que na maioria das demais áreas.

Há carreiras públicas em que o estudo frequente é fundamental, como no caso de juízes e professores de universidades. Já quem trabalha em cargos ligados ao INSS e ao Ministério Público passa por menos atualizações de legislação na sua rotina.

É importante frisar que essa é uma questão de perfil; algumas pessoas têm mais disposição do que outras para dedicar seu tempo livre a leituras relacionadas a sua profissão.

Outras carreiras

Quem é bacharel em Direito, além de ir para o setor público ou para a advocacia, também pode desenvolver diversas outras atividades, como ser consultor, analista jurídico, palestrante, professor em faculdade particular e escritor.

Algumas destas carreiras podem ser conciliadas entre si; por exemplo, um juiz também pode ser autor ou palestrante, mas não pode ser analista jurídico, pois não é uma atividade eventual como as demais.

Vale lembrar que funcionários públicos podem dar aula em instituições privadas, desde que não haja conflito de horários com a função pública — por exemplo, em cursos a distância, ou como professor convidado.

No entanto, não podem lecionar no ensino superior gratuito, pois isso caracterizaria acúmulo de função pública.

Quem segue a carreira de advocacia tem mais flexibilidade para desenvolver outras atividades — dependendo de sua aptidão como palestrante ou autor, você pode reduzir suas horas de trabalho como advogado e focar na segunda carreira.

Nos dois casos — carreira pública ou advocacia —, é importante ter uma formação sólida, que garanta uma boa base para o seu futuro. Caso tenha dúvidas, converse com pessoas que você conhece em ambas as áreas e procure saber sobre o dia a dia de trabalho.

Muitas pessoas têm aptidão para as carreiras públicas, mas também há aquelas que acabam prestando concurso pelo salário e estabilidade, sem levar em conta que o volume de trabalho é grande e muitas vezes as tarefas são repetitivas.

O mais importante é escolher o caminho que tem mais a ver com você e dedicar-se a ele!

Se você gostou deste post sobre como escolher entre concurso público ou advocacia, entre em contato conosco para conhecer nossas opções de cursos para se preparar!

 




New Call-to-action


Guia Prático: baixe grátis

Nossos Apps

Nossas Redes Sociais