Guia da carreira no Direito: o que você precisa saber para chegar lá

  • 22/nov/2017

Guia da carreira no Direito: o que você precisa saber para chegar lá

Atualmente, existem mais de 1 milhão de advogados formados no Brasil. É um número bastante alto, mas não tão surpreendente se levarmos em conta que a carreira no Direito oferece amplas oportunidades aos seus profissionais. Isso faz com que o curso seja muito comum entre os estudantes.

O problema é que, com tantos profissionais no mercado, a competição também é muito alta. Para se destacar, o bacharel em Direito precisa se planejar desde cedo, definindo metas e objetivos para alcançar uma posição de sucesso no futuro.

Como o Direito oferece um leque muito grande de escolhas, é preciso ter conhecimento prévio de quais são os caminhos a serem trilhados nessa profissão. Para ajudar, vamos responder neste post as principais dúvidas relacionadas à carreira jurídica! Confira!

Por que planejar uma carreira em Direito?

Como já falamos, o Direito é um curso que abre muitas portas. Portanto, entrar na faculdade sem sequer ter noção do que você procura não é uma boa ideia.

O caminho a ser percorrido entre a matrícula e a definição dos seus objetivos profissionais é longo e cheio de obstáculos. Por isso, é preciso se planejar para aproveitar todas as oportunidades que surgirem no meio desse caminho.

A busca pela aprovação nos concursos públicos é um dos motivos que fazem com que o Direito seja cada vez mais procurado pelos estudantes indecisos. Mas quando falamos em “concurso público”, estamos abrangendo um rol gigantesco de cargos, órgãos e funções diferentes.

Escolher a área certa requer planejamento prévio, até mesmo porque alguns cargos públicos dependem muitas vezes de um tempo específico de atividade jurídica. Logo, o estudante que não tiver conhecimento da área que pretende seguir, pode acabar se perdendo no meio do caminho.

Além da carreira pública, os bacharéis em Direito também podem se lançar no mercado como advogados, trabalhando em grandes escritórios e defendendo os interesses de seus clientes. Para ser um bom advogado, é preciso ter paixão por aquilo que faz e planejamento para crescer.

Como o Direito está diretamente ligado a outras áreas das ciências humanas, como a Filosofia e a Sociologia, muitos estudantes preferem investir em uma pós-graduação, mestrado e doutorado para seguir a carreira acadêmica em vez de focar na advocacia ou em concursos públicos.

Existe também a possibilidade de trabalhar como consultor individual ou em grandes empresas, sem atuar diretamente no contencioso — ou seja, sem atuar em disputas jurídicas. É claro que essa é uma carreira que exige muito conhecimento e investimento pessoal.

Diante de tantas opções diferentes, fica evidente o motivo pelo qual é tão importante planejar sua carreira no Direito.

Por onde começar?

Qualquer plano de carreira se inicia antes mesmo da faculdade. Quanto mais cedo você começar a se organizar, maiores serão as chances de ser bem-sucedido no futuro. A primeira grande escolha que você deve fazer é: em qual faculdade estudar?

A faculdade

Atualmente, no Brasil, existem milhares de faculdades de Direito. A popularização do curso contribuiu para o crescimento absurdo dessas instituições de ensino. O problema é que nem todas elas são confiáveis, sendo que algumas sequer possuem o selo de qualidade da OAB.

No momento de escolher onde estudar, é preciso pesquisar bastante para não se arrepender depois.

Feita essa escolha, você deve aproveitar ao máximo tudo que o curso de Direito tem a oferecer. Dentro da faculdade, faça contato com seus colegas, interaja com seus professores, invista em um projeto de pesquisa e se esforce para fazer um bom trabalho de conclusão de curso (TCC). Todas essas são práticas simples, mas que podem fazer uma grande diferença no futuro.

Se você entrou na faculdade sem saber ainda qual é a área que deseja seguir, esse é o momento de se decidir. Converse com seus professores — que, em muitos casos, atuam como advogados, juízes etc. — e tire todas as suas dúvidas sobre a carreira no Direito.

A faculdade também é o momento ideal para começar a formar sua rede de contatos. Procure colegas que tenham os mesmos interesses que você e, quem sabe, vocês não montam um escritório no futuro? O networking é essencial para um bom planejamento de carreira.

A prova da OAB

Antes mesmo de se formar, o estudante de Direito já deve começar a se preparar para outra fase importante da sua carreira: a prova da OAB.

Você pode até pensar que a carteira da Ordem é inútil para você — que pretende fazer concurso público —, mas não se engane! Para começo de conversa, alguns concursos da área jurídica exigem que o candidato tenha 3 anos de atividade jurídica como advogado, tornando a aprovação na OAB imprescindível.

Além disso, ainda que você realmente vá seguir uma carreira que não dependa da carteira da OAB, nunca se sabe o que o aguarda no futuro. Pode ser que, em algum dia, você deseje ou precise atuar como advogado. E aí? Como proceder? Deixar para fazer a prova no futuro é muito pior: as disciplinas estudadas na faculdade já estarão esquecidas e você não vai ter mais o mesmo ânimo que antes.

O melhor a se fazer é focar para conseguir a aprovação na OAB o mais cedo possível. Se você não quiser pagar a anuidade, basta cancelar sua inscrição, pois isso não tira seu nome da lista dos aprovados. No futuro, é só se inscrever novamente — sem necessidade de repetir o exame — para conseguir sua carteira.

A pós-graduação

Depois de se formar, é preciso ter em mente que o bacharel em Direito nunca pode parar de estudar. O mundo jurídico está em constante mudança. A cada dia, diversas novas leis são elaboradas, enquanto antigas são revogadas. Para ficar por dentro desse universo, você precisa se manter atualizado.

O bom advogado é aquele que está sempre investindo em si mesmo. É aquele que acaba de se formar e já parte para uma especialização. Se você deseja ver sua carreira decolar, é preciso já começar a pensar em uma pós-graduação antes mesmo de sair da faculdade.

Vale ressaltar aqui que, se você não tiver tempo ou disposição para assistir a aulas presenciais, é possível fazer uma pós-graduação a distância. Existem diversos cursos online que oferecem uma educação de qualidade sem exigir que você saia de casa. E vale destacar que não existe nenhuma diferença entre o certificado do curso na modalidade EAD ou na presencial.

Ainda que você não queira seguir a carreira de advogado, é importante investir nos estudos. A maioria dos concursos públicos, por exemplo, prevê um aumento de salário para o funcionário que tiver pós-graduação, mestrado e doutorado.

Quais são as principais áreas de atuação?

Chegamos, finalmente, ao momento de listar quais são as principais áreas de atuação da carreira no Direito. Como a quantidade de opções é enorme, vamos separar aqui apenas as que são mais comuns na carreira pública e na iniciativa privada:

Carreira pública

Os concursos públicos estão cada vez mais cobiçados pelos estudantes de Direito. A alta remuneração e a estabilidade são apenas alguns dos atrativos dessa carreira. Mas, entre tantas opções, como escolher a que mais se adapta ao seu perfil?

Para responder a essa pergunta, é preciso conhecer um pouco mais sobre o funcionamento dos principais cargos públicos jurídicos:

Magistratura

O Poder Judiciário é o responsável pela aplicação das leis e pela garantia do bom funcionamento do Direito. O concurso público para juiz é um dos mais buscados pelos estudantes e, consequentemente, um dos mais concorridos.

Além de ser concorrido, é também um dos concursos mais difíceis, o que requer muita disciplina e persistência nos estudos. E vale lembrar que esse é um dos casos em que é necessário ter 3 anos de atividade jurídica para assumir o cargo.

A carreira na magistratura se inicia após a aprovação no concurso público de provas e títulos. O cargo inicial é de juiz substituto — normalmente enviado a uma comarca pequena, no interior dos estados —, com um salário de R$ 28 mil em média.

A progressão de carreira ocorre de acordo com a disponibilidade de vagas, que são distribuídas por merecimento ou antiguidade. Geralmente, demora cerca de 20 anos para que um juiz estadual consiga ocupar o cargo de desembargador em um Tribunal de Justiça.

Se você sonha em atuar nos tribunais como juiz, é melhor começar a se preparar desde a faculdade. Lembre-se de que esse é um cargo de extrema importância, o que requer que seus conhecimentos jurídicos estejam sempre atualizados.

Ministério Público

O Ministério Público é o responsável por representar os interesses da sociedade. É o órgão que defende a ordem jurídica e o regime democrático. É responsável também pela fiscalização da aplicação das leis e pela proteção do patrimônio público.

No âmbito estadual, o MP se manifesta na figura do promotor de justiça, um cargo muito visado pelos estudantes de Direito. O promotor deve atuar em diversas áreas jurídicas, sempre em defesa da sociedade. Por exemplo, na esfera criminal, é o responsável pela acusação penal pública, enquanto nas varas de família é ele quem defende os interesses dos menores de idade.

O salário inicial de um promotor atualmente está por volta de R$ 26 mil. Para exercer o cargo, é necessário aprovação em concurso público de provas e títulos e também é exigido 3 anos de atividade jurídica.

No âmbito federal, o MP é representado pelo Procurador da República, cujo salário inicial está perto de R$ 29 mil. É preciso deixar claro aqui que o Procurador da República não se confunde com o Procurador de Justiça (que é a promoção do promotor para a segunda instância).

Procuradoria do Estado/Município

A nomenclatura aqui pode causar um pouco de confusão, mas o procurador do estado ou município não deve ser confundido com os procuradores do Ministério Público. Até mesmo porque a função do cargo é justamente o oposto: defender os interesses dos estados ou municípios, representando-os nos tribunais.

O procurador, nesse caso, é a representação do próprio ente público. Seu trabalho inclui a elaboração e análise de contratos e editais de licitação. Para ocupar o cargo, é preciso ser aprovado em concurso realizado pelo próprio ente público em questão, e o salário é variável, dependendo do estado ou município. Em geral, o procurador recebe cerca de R$ 20 mil.

Importante ressaltar aqui que, no caso específico dos procuradores do município, é possível exercer a advocacia privada em conjunto com o serviço público, desde que não haja conflito de interesses.

Existe ainda a figura do procurador federal e da fazenda nacional. O primeiro atua em defesa das fundações e autarquias federais, e o segundo é responsável por qualquer assunto que envolva tributos. Os salários variam entre R$ 17 mil e R$ 20 mil.

Defensoria Pública

Um cargo público que ganhou muita relevância nos últimos anos foi o de defensor público, já que vários estados estabeleceram salários altíssimos e boas condições de trabalho.

O defensor público deve prestar assessoria jurídica gratuita para pessoas de baixa renda, além de atuar em defesa dos Direitos Humanos e defender os interesses dos necessitados.

Para exercer esse cargo, é preciso ser aprovado em concurso público de provas e títulos e, em alguns casos, há a mesma exigência do MP e da magistratura: 3 anos de atividade jurídica. O salário varia de estado para estado. Em alguns deles, o defensor recebe cerca de R$ 18 mil.

Iniciativa privada

Nem todos os estudantes de Direito pensam em seguir a carreira pública. Alguns preferem atuar em escritórios — defendendo interesses de clientes — ou no setor jurídico de grandes empresas. Existem ainda aqueles que preferem atuar como consultores, já que essa área normalmente prevê salários maiores do que a contenciosa.

Se você quer apostar na carreira de advogado da iniciativa privada, vamos listar a seguir as áreas mais comuns e a faixa salarial média de cada uma. Mas vale lembrar que os salários podem variar muito dependendo do escritório, empresa e da sua experiência como advogado.

Direito Tributário

Essa é uma área que os estudantes amam ou odeiam. Direito Tributário não é para todos, mas, se você faz parte do grupo que gosta da matéria e pensa em algum dia atuar em litígios que envolvem tributos e taxas ou prestar consultoria fiscal para seus clientes, saiba que essa é uma das áreas mais bem-pagas do Direito.

O salário de um advogado júnior no setor tributário varia entre R$ 3,5 mil e R$ 8 mil, dependendo do tamanho da empresa e da área (contenciosa ou consultiva). O crescimento na carreira multiplica esse valor. Um advogado tributarista sênior pode ganhar mais de R$ 20 mil em grandes empresas.

Direito Empresarial

Essa é outra área que não costuma agradar a todos os estudantes. Mas, assim como a anterior, é uma das áreas mais bem-pagas da carreira no Direito.

O advogado empresarial presta assessoria jurídica para empresas e empresários. Seu objetivo principal é garantir que os contratos e a efetivação dos negócios estejam todos de acordo com a lei.

O salário aqui é muito variável, podendo ir de R$ 3 mil — como advogado júnior em uma pequena empresa — até mais de R$ 30 mil — como diretor jurídico de uma multinacional.

Direito do Trabalho

Grande parte dos bacharéis em Direito se apaixonam pela área trabalhista e acabam decidindo atuar em favor dos trabalhadores ou defendendo os interesses dos empregadores.

A enorme quantidade de advogados trabalhistas no Brasil acabou tornando essa área muito saturada. Consequentemente, os salários não são tão altos como as duas anteriores.

Um advogado júnior pode começar a carreira trabalhista com um salário médio de R$ 3 mil, enquanto um advogado sênior dificilmente consegue ultrapassar o salário de R$ 20 mil. É claro que, se essa é a carreira dos seus sonhos, você pode se destacar no mercado e multiplicar esses valores facilmente.

Direito Civil

A área cível é uma das mais amplas do Direito. Os advogados podem se especializar em dezenas de assuntos diferentes, indo de Direito Imobiliário a Direito de Família.

Por ser uma carreira com tantas ramificações, os salários também são muito variáveis. Sem contar que essa é a área com a maior quantidade de advogados autônomos, que não trabalham para um escritório ou empresa.

Em geral, o advogado cível pode receber entre R$ 3 mil e R$ 17 mil, dependendo da área em que decide atuar e também da sua forma de trabalho (autônomo ou empregado).

Direito Penal

Apesar de ser uma das matérias mais queridas da faculdade, são poucos os estudantes que decidem seguir a carreira de advogado criminalista. Na verdade, quem gosta da área normalmente decide prestar concurso para o Ministério Público.

Os salários no Direito Penal variam muito de escritório para escritório. Os grandes advogados criminalistas — que normalmente trabalham com crimes de colarinho branco, ou seja, “crimes cometidos por uma pessoa respeitável e de alta posição (status) social de Estado no exercício de suas ocupações” — podem receber valores altíssimos de seus clientes. Porém, em geral, o salário nessa área não é muito alto, variando entre R$ 2,5 mil e R$ 10 mil.

Carreira acadêmica

Para finalizar este tópico, vamos falar um pouco sobre a carreira acadêmica no Direito.

Muitos estudantes preferem se manter mais no âmbito teórico do que partir para a prática como advogados ou concursados. Por isso, focam em se especializar em determinada área e dedicam sua carreira à pesquisa e ao ensino.

Para se destacar na carreira acadêmica, é preciso investir em sua formação: fazer uma pós-graduação, mestrado, doutorado e por aí vai. O acadêmico, mais que qualquer advogado, não pode parar de estudar em momento algum. É preciso fazer cursos online, obter certificados e incrementar seu currículo cada vez mais.

Existem várias possibilidades dentro dessa carreira: ensinar em uma universidade, fazer pesquisas, escrever livros, dar aulas em cursos preparatórios, entre outras. Com o advento da internet, também é muito comum ver professores criando seus próprios blogs para transmitir conteúdo relevante aos outros profissionais e estudantes.

Atualmente, o salário inicial do professor de Direito em uma universidade pública está por volta de R$ 6 mil. Em cursos preparatórios, a média é de R$ 80 por hora/aula.

Iniciativa pública ou privada: qual é a melhor para você?

Depois de tudo que falamos no tópico anterior, cabe a você decidir qual é a carreira que deseja seguir.

As vantagens do setor público estão concentradas nos bons salários iniciais e na estabilidade. Há, porém, o ponto negativo da falta de dinamismo no trabalho. Os servidores públicos que atuam em cargos pequenos sofrem com o trabalho “engessado” que não apresenta muita novidade e não dá nenhuma liberdade ao profissional.

Se o seu sonho é ser aprovado em um bom concurso público, é preciso ter em mente que isso não é fácil. Você deverá estudar todos os dias e se dedicar inteiramente a isso. A quantidade de candidatos aos cargos públicos está crescendo cada vez mais, transformando essa área em um cenário extremamente competitivo.

Já a carreira na iniciativa privada tem a vantagem de oferecer uma liberdade muito maior aos profissionais, que podem escolher exatamente onde querem atuar, além de o trabalho ser muito mais dinâmico.

Por outro lado, é um cenário com salários muito variáveis — e menores no início da carreira — e que exige muito mais esforço para crescer e se destacar.

A competitividade na iniciativa privada se baseia nos méritos e resultados de cada profissional. Portanto, se você deseja seguir por esse caminho, é preciso, mais do que nunca, investir em si mesmo e ser um excelente advogado.

O que é preciso para conquistar seus objetivos?

A resposta imediata a essa pergunta é: planejamento.

Para alcançar seus sonhos e se destacar na carreira que você escolher seguir, é necessário traçar planos e fazer o possível para cumpri-los.

O aprimoramento pessoal, como já falamos, é essencial no universo jurídico. Seja qual for a sua área de atuação, não vai ser possível sair do lugar-comum se você não investir nos estudos e fizer o máximo possível para manter seu currículo atualizado.

Ainda que você não tenha tempo para ir à faculdade e fazer uma pós-graduação, mestrado ou doutorado, já falamos que, hoje em dia, é possível, por meio da modalidade EAD, obter um certificado de conclusão — que não se difere em nada do presencial. Logo, não há desculpa que justifique sua inércia em investir no seu aprimoramento pessoal.

Um bom advogado também deve adquirir o hábito da leitura e estar sempre antenado às novidades, não apenas do mundo jurídico mas da sociedade como um todo.

Além disso, o Direito é uma área que exige bons resultados. Para se destacar, é preciso ter um pouco de iniciativa. Não espere ordens ou pedidos para cumprir uma tarefa. Seja diferente: arrisque-se mais e mostre que você tem domínio sobre sua profissão.

Se surgir um problema em uma audiência ou em um processo, tente resolvê-lo por conta própria da melhor maneira possível em vez de correr atrás do seu chefe esperando que ele lhe diga o que fazer.

Outro ponto importante: não se esqueça do networking! Já mencionamos que sua rede de contatos se inicia na faculdade, mas isso não quer dizer que ela termine lá. Depois de formado, a participação em cursos, palestras e seminários permite que você conheça outros advogados e entre em contato com grandes figuras jurídicas, o que pode proporcionar oportunidades e parcerias únicas.

Por fim, nunca deixe de ser um profissional ético e saiba investir na sua imagem. Mostre para o mercado que você é muito bom naquilo que faz e seja sempre simpático e educado com seus clientes e colegas. Essa é uma profissão que depende muito da maneira que você se relaciona com as outras pessoas.

O Direito é uma área que exige muito dos seus profissionais. Não importa se você deseja seguir a carreira na iniciativa privada ou pública: é preciso se planejar. Mantenha-se sempre atualizado e não pare de estudar jamais! Com muita dedicação, temos certeza de que você conseguirá alcançar uma posição de sucesso!

Gostou do nosso guia sobre a carreira no Direito? Então aproveite para assinar nossa newsletter e ficar por dentro de todos os conteúdos do blog!